domingo, setembro 29, 2019

Em silêncio canto


Canto o fio da mensagem
Condutor das horas mortas
Do vento as ondas, a dor
Quando bate à minha porta

Canto a barca florida
Deslizando em mansas águas
A breve nota, distraída
Que me enleia e me abraça

Os finos véus de areia canto
Do deserto em ouro tecido
O luar, o monte, o mar
Do sonho, a voz ao ouvido

Das crianças canto os passos
Em crescimento contínuo
E mesmo deitada danço
Palavras de sol e abrigo

E se por Ventura as canto
Desfolho searas antigas
Ternas memórias, encanto
No nomadismo dos dias

domingo, maio 12, 2019

Feliz Novo Ano


Somos duas valendo mil
metade para cada lado
ameando o que sentiste/senti
quando viste e eu vi
alegria-fruto do pós-parto.

Agora, em tempo corrente,
corrente que não se quebra,
venham mais mil entre a gente
que o amor de nós é silente
em tudo o que da vida se espera.

Neste dia especial,
menina de mil encantos,
às doze e quinze nasceste
isolando qualquer mal
com teu sorriso num manto
de fé, no amor que vives/viveste.


(À minha filha por mais um Aniversário)



quarta-feira, março 27, 2019

Pela calçada do tempo


Caminhava o arrasto da sombra
sob a linha ténue da vida.
Curta a senda, longos os passos...
pela rua das flores que, lentamente, subia.

Da calçada, apenas o empedrado lhe sussurrava
uma canção antiga, que trauteava baixinho,
embalando a caixa de chocolate
nos seus braços trémulos e finos.

Extenuado, febril pelo sol do meio-dia
aninhou-se no degrau da soleira de uma casa
desfiando memórias encandecidas:
a licença obtida para ver a família;
a turbulenta viagem a bordo do Santa Maria;
aqueles braços pequeninos que para ele corriam.

Adormeceu a existência do tempo
num envolvente sorriso.

sábado, março 02, 2019

Outono


Essa tendência de acreditar
que todos são, como nós, cientes
do tempo que nos passa levemente

Essa tendência de sofrer com a gente
que se nos cruzam, por momentos
distantes ou mais perto,
quem sabe se apenas logram o caminho,
com ingénua e crédula ausência

Quando verificamos o trilho inflorido
de cores, adornos em fátuo vento,
com afagos tão breves,
admitimos e cremos
que o Outono é uma breve passagem
permanecendo ocres ramas
de um ver que, por escasso,
não se entende.



sexta-feira, fevereiro 01, 2019

Luz em palavras


´Sofisma!... Paralogismo!...`
Acesa discussão prosseguia na Ágora.

Num dia claramente suave,
o eminente oráculo
no desvendar subtil das revoltas palavras,
no reencontro de acalmia e bondade,
emitiu alva carta
ao Patrono das Artes:

"Iluminado é aquele que aceita
a linha sinuosa dos passos."


segunda-feira, dezembro 24, 2018

Boas Festas


A todos desejo, com o maior carinho, nesta época festiva
e no próximo Ano que breve se anuncia, muita partilha
alegre de sentimentos e a plenitude do Amor e Amizade
de que o Eu de cada um de nós faz parte.

Um bjinho grande e uma flor

segunda-feira, novembro 19, 2018

Talvez....


Talvez me voe... talvez não...
um poema incompleto,
seja errado, seja certo,
numa escrita de Verão

Talvez caminhe... talvez pare...
o pensamento em ti.
Talvez apenas te enlacem
caminhos que omiti

E as árvores correm mudas
sob os pios agudos dos pássaros
Talvez saibas mas não usas
protegendo os estilhaços
pelos trilhos arrastados
ante o brilho amorfo da lua
que nua, longínqua e crua
se vira para outro lado

Talvez avistemos um dia,
da rosa, as pétalas rubras,
e dancemos a harmonia
dos abraços apertados