sexta-feira, maio 11, 2007

No fio do poema


















Pela boca do céu corre um poema velho
em amor, sol e espuma do rio é leito;
se nas cerradas janelas em escolhos flutua
moroso nos passos, a palavra desnuda

Pelos caminhos bifurcados o rio se alarga
nas ondulantes areias de um só traço
qual folha muda em lenta desfolhada
no leve poisio de um ponto no espaço

Será talvez um poema no fio das horas
sobre a antiguidade - tecidos de um canto –
onde breves letras expandidas em branco

sob círculos ovalados se desdobram
e no repouso dos joelhos aninhadas
em silêncio pairam, as mãos cantadas


(pintura de Nasrin Afrouz)

40 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Magnífico soneto cara amiga.
Quem me dera tê-lo escrito. Continuas "em forma", melhor que nunca.
Bom fim-de-semana.
Beijos.

Paula Raposo disse...

Belíssimo poema! Muitos beijos.

Sailing disse...

deixa o poeta escrever, deixa as palavras aparecerem, tudo para, tudo recomeça ... flutua na imensidão desse rio, que é o espelho da alma de quem sonha

un dress disse...

à boca do céu

antes da luz cegar

antes de qualquer passo irrevogável

brancas se expandem

as mãos


*

Peter disse...

Temos o prazer de ter o teu blog (ou blogs) nos n/links, julgo que desde o início da série "conversas", por isso é um prazer sempre renovado quando te relemos.

maria carvalhosa disse...

Que lindo soneto, Amita! Já há tão poucas pessoas que saibam escrevê-los... caíram em desuso. Como sabemos, em arte existe uma permanente necessidade de inovar e isso faz com que, de tempos a tempos, e por períodos mais ou menos longos, belas formas de expressão do sentimento artístico andem desaparecidas, escondidas, esquecidas. Com este soneto, consegues trazer-nos a pureza dos antigos, com palavras novas, as tuas, e o velho formato ganha uma outra dimensão e aponta um caminho diferente dos até aqui conhecidos.

Um beijo terno.

In Loko disse...

Estes velhos poemas que dos céus e rios chegam até ti, são baladas encantadas! Beijinho Amita

Menina_marota disse...

"...Pelos caminhos bifurcados o rio se alarga
nas ondulantes areias de um só traço
qual folha muda em lenta desfolhada
no leve poisio de um ponto no espaço[...]"


É sempre um prazer ler-te.

Um abraço especial neste Dia ;))

MARTA disse...

E há muitos caminhos bifurcados na vida...pensa que se perdeu o brilho...
Lindo como sempre, Amita...
Bom domingo
Beijos e abraços
Marta

Nilson Barcelli disse...

Tenho uma (não) surpresa para ti no meu blogue, passa por lá.
Boa semana, beijos.

Vieira Calado disse...

Belo soneto, com um ritmo redondo e grácil.
Um abraço

A.S. disse...

Os poemas velhos não precisamos dizê-los... basta olhar nos olhos e o poema fulvo de luz entra-nos na alma!


Um terno BeijO...

Peter disse...

Olá Amita

Foste nomeada, passa pelo "conversas".

Peter

alice disse...

nenhum poema teu será velho, porque o que escreves tem propriedades anti rugas ;)

um comentário menor diante daquilo que aqui conseguiste atingir... *

sonia alves disse...

Vaidade

Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho... E não sou nada!...
oi este seu cantinho e maravilhoso amei os seus poemas ofereco o meu award e deixo o cinvite de que nos venha visitar ta ? optima quinta feira beijokinhas

maria carvalhosa disse...

Querida Amita,

Designei-te para dares continuidade à corrente do "meme". Se aceitares, passa lá por casa.

Um beijo.

Menina_marota disse...

"...Será talvez um poema no fio das horas
sobre a antiguidade - tecidos de um canto –
onde breves letras expandidas em branco:::"

Vim ler-te (sabes como adoro a tua Poesia) e deixar-te um abraço e boa semana (já fizeste o bolo?)



Bj ;))

António Melenas disse...

Excelente soneto, Amita. Belo e profundo... E o soneto é a forma poética que mais aprecio.
Beijo

meialua disse...

Os teus poemas continuam fascinantes, e a pintura é linda e muito bem escolhida.

Beijinhos com saudades amiga*

Dad disse...

Muito lindo Amita!

Beijinho,

blackangel disse...

Melifluus
a ler o post do meu blog e respectivos comentários...
thanks!

Ivan disse...

Nilson Barcelli indicou uns blogs. Todos lindos. E esse aqui, tão lindo quanto.

ConchitaMachado disse...

Gostei muito de teu poema, Amita!

Belíssima pintura de
Nasrin Afrouze!

Bjnh amigo**

Menina_marota disse...

VIM DEIXAR-TE UM BEIJINHO, SABES PORQUê...

;))

Manoel Carlos disse...

Já vim aqui e dexei comentários, mas não os vejo.
Com o dizer poético, o tempo assume outra dimensão.

maria carvalhosa disse...

Querida Amita,

Entendo o teu desespero perante a inoperância das tecnologias... espero que o problema com o computador se resolva bem depressa.
A tua ausência é muito sentida. Fazes-me falta! (não é plágio... não é, obviamente da falta a que se refere a Inês Pedrosa que me queixo (felizmente!) é porque é mesmo VERDADE).

Um beijo com muito carinho.

António Melenas disse...

Olá Amita,
Vinha à procura de mais e encontrei o esmo soneto, Não perdi a viagem pois com ele me deliciei de novo
Um beijinho e bom fim de semana

MARIA VALADAS disse...

Belo soneto!

Sente-se a musicalidade ao ler cada verso!

És da poetisas minhas preferidas...

Beijinhos da

Maria

Carreira disse...

Criei um blogue de opinião que agora estou a divulgar.
Se tiver interesse, não deixe de fazer uma visita: http://www.cegueiralusa.blogspot.com/
Caso goste, por favor divulgue, pois pretende ser mais um espaço de discussão em busca de uma cidadania mais activa.
O meu muito obrigado.
Com os melhores cumprimentos,
José Carreira

Zé Ninguém disse...

Preferimos Esquerdalhas ou Faschizoides ?

Bata em Mao!

http://absolutamenteninguem.blogspot.com

madrugada disse...

Muito bom...

Manel do Montado disse...

Com a melodia serena por fundo - Será talvez um poema no fio das horas(?)
Execelente. Bjinho

un dress disse...

cantam: as mãos que pairam.



:)

Chris disse...

Hello, you have a wonderful blog, can you please contact me at linkexchange@edenfantasys.com? I have something to discuss with you
Regards, Chris
(Please can you delete this comment after your decision?)

Menina_marota disse...

Ainda não tens o pc arranjado??

Passei para ler-te, saio triste, mas deixo um ABRAÇO ;))

Menina_marota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina_marota disse...

Xiiii não era aquele linke!! De vez em quando aquele aparece não sei porquê!!(já sei.... estive lá no Template!)
Agora parece que fica o meu "oficial"... eheh

Bjs

MARIA VALADAS disse...

Passei para ler mais uma poesia...
Como não há novidades....vou reler as anteriores!

Tudo de bom por aí!

Beijinhos da

Maria

Peter disse...

"Será talvez um poema no fio das horas sobre a antiguidade"
Talvez seja e talvez tenhas o PC avariado.

Tenho andado cá e lá, sem tempo para visitar os blogs linkados e respectivos titulares, como é óbvio. Irá ser assim até voltarem os dias curtos e escuros.

Estrela do mar disse...

...mais um excelente poema teu, amiga...já tinha saudades de te ler Amita:)...


Jinhossssss e boa semana