domingo, junho 17, 2007

Flamas de Junho


















Espalhar do amor o tempo incerto
dos lírios e açucenas nas urzes nascidas no deserto
alinhadas em folhas de linho
e da água omitidas que urge e se bebe

Leve será o sonho, ilusão tardia
percorrendo o tabuado convés do navio
que se lava de tarde e atrasa
a brasa nele contida
entre as folhas orvalhadas da vida

Espalhar o amor na plenitude da aurora
quando o enlace do silêncio não tarda a demora
daquele voar quieto, de celsitude aberta
no transporte do que subsiste
aqui, ali, tão breve e perto

Menina de amor silente e de vela
adormece flamas de vento
em doce espera

(pintura de Lord Frederick Leighton)


Poema in "Transparência de Ser"

20 comentários:

mafalda disse...

Belíssimo, o teu regresso, envolta em flamejantes véus.
Muito bonito o poema.
Um beijo.

MARTA disse...

Que lindo - perante tal beleza e ternura...fico sem palavras...
Contente por estares de volta...
Parabéns.
Beijos e abraços
Marta

In Loko disse...

Gostei deste passeio e serenidade, das brisas, orvalhadas da vida e de Junho! Muito bonito Amita. Beijinhos...

Menina_marota disse...

Sorrio, sorrio... sabes porquê. Estou feliz!


"Espalhar o amor na plenitude da aurora
Quando o enlace do silêncio não tarda a demora
Daquele voar quieto, de celsitude aberta
No transporte do que subsiste
Aqui, ali, tão breve e perto"

Beijinho ;)))

Peter disse...

"Leve será o sonho, ilusão tardia".
Ainda bem que já tens o PC arranjado para podermos voltar a usufruir da tua poesia.

maria carvalhosa disse...

Querida Amita,

É uma felicidade ter-te de volta (e com que força!).

Com este poema arrasas, deixas-me sem fôlego.

Inquestionável o teu sentimento poético e a arte de o traduzir em palavras, lindas imagens, metáforas subtis ou contundentes.

Nem a escolha da pintura deixaste ao acaso. Tudo se conjuga para o deleite de quem te visita.

Um beijo terno, amiga.

Mïr disse...

"Espalhar o amor na plenitude da aurora
Quando o enlace do silêncio não tarda e demora"

Lindo.

Beijinhos.

Luisa disse...

Essa espera pelo Amor é linda!

Maria Valadas disse...

Mais um poema... suave como as asas de um anjo!

Saio em silêncio...

Beijinhos da

Maria

José Gomes disse...

Passei por aqui, Amita, para te dizer olá, ler o teu poema que é lindo (como quase sempre são os teus poemas!!!) e desejar-te uma boa semana.
Um abraço,
José Gomes

Manoel Carlos disse...

Quanto ao seu comentário, bem entendo o que a lida nos exige.
O poema? de delicada leveza, idílico...

Peter disse...

Nomeei-te para o Prémio as "7 maravilhas". Bem o mereces.

Maria Valadas disse...

Vinha ver se havia mais um poema para me deliciar...

Não há!

Releio uns e outros... e deixo um recado:

O endereço do meu Blog, teve uma pequena alteração:

http://oblogdaspalavras.blogspot.com/

Beijinhos da

Maria

Manel do Montado disse...

Belo...esmagadoramente belo... e a música que o enleva?
..........feminilidade e sensibilidade, quais mãos de um mesmo corpo de coração feito.
Vou...de mansinho.
Bjinho

Paula Raposo disse...

Este poema é uma maravilha! Lindíssimo! Muitos beijos.

Vieira Calado disse...

Um belo poema, sem dúvida!

Menina_marota disse...

O pc já funciona? Então?

Bjinhos ;)

Estrela do mar disse...

...ainda a meio das férias, passei para ler as tuas palavras sempre lindas e deixar um beijinho grandeeee...

Olhos de mel disse...

Ah, o amor! Cantado dessa linda forma poética. Lindo demais!
Boa semana!
Bjs

pessoa nenhuma disse...

andei a navegar entre blogs...e parei para ler algumas suas publicações. ja se inscreveu no luso poemas? em www.luso-poemas.net.são dignas de divulgação.
saudações literárias