sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Ausência













"O homem põe e Deus dispõe"
seus passos
e, de atraso em atraso,
contam-se as horas dos dias inócuos,
contam-se as névoas sem colóquios,
na mudez constante
nesta aparente distância amante
num tempo escasso de instantes.

Assim seja! Assim se compreenda
no que tarda o sorriso
e a solícita demência.


(pintura de Juan Montes)


poema in "Transparência de Ser"

6 comentários:

Mïr disse...

Assim seja!

Beijinho grande.

Estrela do mar disse...

...querida, gosto de ler o que escreves...se queres que te diga, não entendi muito este teu poema...mas gostei de lê-lo na mesma...o que é que hei-de fazer Amita?...


Beijinhossss e boa semaninha.

Marta disse...

Lindo...
Nunca estamos distantes....
Estamos sempre presentes nas palavras que deixamos....
Até já
Beijos e abraços
Marta

alice disse...

belíssimo, amita. um beijo do meu coração *

Peter disse...

É esse o problema com que nos debatemos:

"Um tempo escasso de instantes"

Sabes que aprecio a maturidade da tua poesia, neste caso e quanto a mim, com uma pintura bem escolhida.

Menina_marota disse...

O que interessa é que voltes... sempre!
Bj ;)))