sábado, julho 31, 2010



















Docemente, alinho palavras
na entretecida canção de sal e água

Por vezes, ao seu redor
esvoaçam picos, formas de pássaros
coloridos alinhavos sob um fogo encantado

Olho-os na voz do silêncio desfolhado

Se por vezes sinto em acalmia a brasa
outras, estremeço pelo vazio
gritante que clama a inconsistência
a lenta perdição da mente
pelo deserto de inconstância desperto
que da chama nada entende
nem da verdade

Quisera ser aroma em flor de letras e
gota a gota elaborar a palavra em falta
quando cada verso de dor e treva
transforma em dúctil manto
essa voz de pranto e mágoa

Às vezes vibrante penso
silenciar o remoinho do espaço
e sorrindo docemente espalho
no fogo, o sal, a água
na eterna estrada em cascata


(fotografia de Luiz Edmundo Alves)

Poema em "Transparência de Ser"

10 comentários:

Marta disse...

Palavras em flor, com aroma doce que se entranha o tempo e fica na leve música da cascata....
Lindo....
Beijos e abraços
Marta

Carmem L Vilanova disse...

Amita querida!
Sempre a mesma ternura refletida em teus poemas.
Bom ver-te!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

alice disse...

é uma alegria redescobrir a serenidade das tuas palavras, que reflectem um longo descanso e um reencontro com poemas de grande ternura. oxalá escrevas cada vez mais, minha amiga. um beijinho e até breve*

ZezinhoMota disse...

Amita, boa tarde...

Eu comprei este livro, ainda não o li. Um ou outro poema...

Porque tenho estado muito ocupado, por um lado o meu neto, Tomás. Está por cá mais tempo e eu dou-lhe atenção que merece...

Por outro lado, publiquei em fins de Maio deste ano o meu primeiro livro de poesia "A Natureza e o meu Poema"...

Em virtude das Editoras quererem muito dinheiro e eu por mais que escrevesse para possíveis interessado para mo patrocinarem...Infelizmente nem resposta me davam...

Tive a oportunidade da vida e não a quis deitar fora...

Arranjei quem me fizesse a impressão do livro e fui o Editor´...Tenho estado mais inserido na expansão desse mesmo livro...Felizmente tive pedidos do Brasil, Suiça e Chile...E eu próprio é que tratei de os enviar...

Infelizmente em Portugal, particularmente por intermédio do site que me fez a impressão do mesmo e que o tem à venda...
Não tem tido muita correspondência de venda, muito embora nestes anos que ando na net tenha livros de algumas dezenas de colegas dos blogs...

Mas quero ir devagar...O que me interessa tenho cá fora o primeiro e o segundo já está em preparação para sair em Dezembro próximo...

Um beijo para ti minha amiga conterrânea...

ZezinhoMota

Nilson Barcelli disse...

A excelência continua a ser a tónica da tua poesia, tal como neste magnífico poema.
És como o vinho do Porto, cada vez melhor...
Querida amiga, bom fim-de-semana.
Beijos.

Manoel Carlos disse...

Calo-me e deixo-me invandir pela pungência do que li.
Manoel Carlos

gabriela r martins disse...

terminadas as férias ,e o tempo de "jibóiar" ,retomo a leitura diária dos blogues do meu contentamento .nem sempre comento ( como sabe ) mas todos os dias retenho algo novo ....

...e ,mais uma vez ,sem engano ,perco.me na leitura deste belíssimo poema




.
um beijo

tecas disse...

Querida Amita, poétisa de elite, faço minhas as palavras do poeta Nilson...a excelência é a tónica da tua poesia.
Um beijo e mil flores

pin gente disse...

é calma esta forma de ser, amita.

um abraço
luísa

A.S. disse...

Teus poemas continuam inconfundíveis!!!


Um grande abraço de saudades!
AL