domingo, janeiro 07, 2007

sublimando...






















Sob os aglomerados,
caminham as cidades
em bandos apressados

Não se falam, não se tocam e, se param,
pelo vazio o olhar se esquece,
espartilhado, estreito e ténue.

São como teias de vento e divagam
no cursor breve da matéria
esboçada em cinzel de água e pedra

Além, do alto, em qualquer parte,
medita-se, e de nós se faz a espera
tecendo candeias em peito aberto -
modeladas, sublimadas -
e com suavidade se espalham
em alvas árvores… de neve


(pintura de Shinichi Osawa)

Poema in "Transparência de Ser"



17 comentários:

Flor de Tília disse...

Mais um poema muito bonito como todos quantos tenho lido aqui.
Beijinhos

Peter disse...

Temos sentido a falta da tua poesia.

Anónimo disse...

SEmpre com belas palavras. Beijinho amiga*

Marta Vinhais disse...

O que dizer - lindo como sempre - tão suave, tão delicado, tão puro!
Gostei muito, Amita
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

Anónimo disse...

Mais um bonito poema
Um beijinho

Luisa disse...

É assim a vida dos homens, passando, mal se tocando, mal se falando. Mas alguém o transformará!

Luisa disse...

Entre dois mails, um agradecimento pela visita e comentário deixado.

Anónimo disse...

Perfeitos, este e o anterior. Beijos.

Manel do Montado disse...

Bonito poema. Parabéns.
Bj

Menina Marota disse...

Foi com emoção que ouvi os teus Poemas lidos pela voz do Luís Gaspar!
Apesar de já os ter lido aqui, ganharam um significado muito especial a sua leitura.

Podes ouvi-los aqui:

http://www.estudioraposa.com/

Beijinhos e Parabéns...;)

Anónimo disse...

Oi!!!
Obrigada pelo comentário tão lindo que deixas-te no nosso cantinho.
Este poema é demasiado belo que nos deixa sem palavras.
Feliz 2007!!!
Beijinhos e bom fim-de-semana

Kalinka disse...

Iniciou-se a contagem decrescente para o lançamento do livro «Que é o Amor?».

Colaborei com um texto da minha autoria, dedicado a todos que de alguma forma marcaram a minha Vida em momentos inesquecíveis, mas também a alguém muito especial que nasceu dia 7 de Fevereiro e que, por não pertencer ao Mundo dos vivos, guardo com muito Amor, na minha memória (minha Mãe).

É uma excelente oferta em qualquer altura, mas como se aproxima o Dia dos Namorados, será bom começarem a preparar as vossas encomendas quanto antes.

Beijos e abraços.

António Melenas disse...

De novo tive o prazer de ouvir as tuas doces palavras na voz impar do Luís gaspar
Parabéns
bjs

Ana Maria disse...

Amita entro agora no teu espaço.
li o primeiro poema. POEMA.
vou descer no blog subindo na tua poesia.

Nilson Barcelli disse...

A tua poesia é uma delícia.
Este poema é um claro exemplo disso mesmo.
Beijos.

david santos disse...

Olá!
"São como teias de vento e divagam
No cursor breve da matéria
Esboaçada em cinzel de água e pedra"

Mais palavras? Para quê?

Muitos beijos, Amita, muitos beijos.

Parabéns, muitos parabéns.