quarta-feira, novembro 11, 2009

Brisa d' água




















Revolteio os teus cabelos
E em música te enlaço
Em tua face me revejo
Num terno e doce passado

Sobre o começo do dia
Te ofereço laços de frutas
Pela sofreguidão madura
Do espelho que te aninha
E da cama silente ainda
É surpresa, embaraço

Do nada quero a escama
Tecida no reflexo da rama
E dos pássaros em demanda
Em silêncio e calma aguardo
Nos ossos as asas que traço

Caminho na brisa d’água…

(pintura de Freydoon Rassouli)

8 comentários:

Paula Raposo disse...

Um doce poema de nostalgia. Beijos.

Carmem L Vilanova disse...

Ja' andava com saudades de saber de ti e dos lindos poemas que publicas... :o)

Beijos, flores e muitos sorrisos... sempre!

Eu Sei Que Vou Te Amar
Viver integral

Peter disse...

Produção poética escassa, mas sempre de óptima qualidade.

Faço votos que tenham sido resolvidos a contento os problemas que te afligiam.

Toda a amizade do,
Peter

Marta disse...

Na leveza do tempo, no consolo da verdade....
Respiro paz....
Lindo como sempre...
Beijos e abraços
Marta

lupussignatus disse...

a doce

partitura

da

memória



*abraço*

Carla disse...

linda esta brisa húmida que se solta das tuas palavras
beijo amigo

alice disse...

amitinha, tenho passado sempre aqui, porque não escreves mais?

beijinho*

carlos disse...

Amita, a brisa na água é o nosso espelho quando estamos de bem connosco...Beijos. Carlos

para ti flores...Gostei da tua visita especial