sexta-feira, novembro 10, 2006

Silhueta

























Pianíssima, amorteço
sob a planura da ausência
onde tantas vezes me sinto
e com ternura contemplo
os sons na pedra talhados
qual flor de sal em fios de linho

Escuto e de mim desapareço
no suave canto do rio
sob a ponte do Moldava
onde te senti pleno
ao meu lado
sorvendo do silêncio, a Beleza

Assim circundo da pedra os veios
diluídos nos serenos brilhos
pelo cinzel que estátuas talha
e que, de tão longe, sentidos permeio;
os coretos que música espalha;
o rumorejar de árvores entrelaçadas
suspendendo o casario
em outonais cores repousado

E danço… do voo, a silhueta,
na abstraída inocência
dos dedos, em fios de linho


(pintura de Manuela Justino)

Poema in "Transparência de Ser"

19 comentários:

MARTA disse...

Voar, sentir a aragem e ir com o vento..........
Desenhando uma silhueta na cauda do cometa...
Lindo poema, Amita, adorei.
Beijos e abraços
Marta

Peter disse...

*****

Um poema belíssimo, uma música maravilhosa e uma aguarela lindíssima.

Bom fds

P.S.- Apaguei o comentário. Não quero guerras.

Leonor C.(nokinhas) disse...

Lindo o poema e igualmente a melodia tão suave que a acompanha.

Delfim Peixoto disse...

Uma composição de som, imagem e palavras que parecem gotas de cristal...lindas!
bjs doces !

mfc disse...

Lindo.... e aquela evocação da Ponte destruída sobre o Moldava, tocou-me!

In Loko disse...

Mais um voo lindo amiga Amita... saído do âmago da tua alma Bela que reflecte os movimentos das águas frescas que brotam do teu Ser! E a música mais pintura ajudam a sonhar! Lindíssimo! Beijinho grande...

Menina_marota disse...

Uma palavra somente: Lindíssimo!
E a suavidade da imagem condiz com a serenidade do poema. Uma beleza!!

Beijinhos e boa semana ;)

(Nota:Não consigo ouvir a música, será do meu pc? mas ouço as do meu blogue...)

António Melenas disse...

"Suspendendo o casario
Em outonais cores repousado"
Que bela imagem e que belo poema
abr.
António

Unicus disse...

Mas tu és inocência, F.!
Lindissimo, sabias?
Beijos meiguinhos para a minha especial amiga

mares-e-maresias disse...

É a primeira vez que passo por aqui. Achei excelente.
Beijos.

mnemosyne disse...

Suspensa nas linhas, tocando as letras que solenes as enfeitam...magnifica a concepção deste poema :) Um beijo

benechaves disse...

Atravessando o oceano um tanto bravo para apreciar tão linda 'silhueta'. Belas palavras, bonitos versos! E levo-a (a silhueta) para o meu modesto quintal, na ensolarada Natal.

Um beijo poético...

Isa&Luis disse...

Olá menina,

Belissima pintura onde o teu poema fica divino.

Gostei muito.

Tem uma excelente semana com muitas alegrias.

Jinhos

Isa

Juda disse...

Bom, gosto... belas as palavras no seu sentido... um abraço...

Marconi Leal disse...

Bonito, Amita. Parabéns.

Peter disse...

Falta a inspiração, ou muito trabalho?
Nota-se quebra na produção poética.

maat disse...

Tão bela a poesia que deixou no arde o azul!

Saudades, muitas.

Beijinhos e uma Rosa.


***maat

Nilson Barcelli disse...

Boa, como sempre, a tua poesia.
Dá gosto ler e reler...
Beijos.

Apenas, o cidadão disse...

não o percebi completamente, mas gostei do que consegui vislumbrar.