quinta-feira, novembro 23, 2006

A travessia num sonho

























Talvez mais não sejam que ufanas velas
cruzando oceânicos navios
o esplendor de montanhas submersas
no ondular de algas e limos

Talvez voem, talvez cantem ou caminhem
junto aos peixes com dedos de linho
delineando desérticas areias e peregrinem
no olhar vago e silente do vazio

Talvez mais não sejam que um talvez
na morfologia de um tempo perdido
criados nos flocos de neve de uma vez
sem rumo, sem sorte, nem abrigo

Talvez existam… se breve os sinto


(pintura de Tanja Hoffmann)

Poema in "Transparência de Ser"

9 comentários:

Carla disse...

Como um farol... ;)

mfc disse...

Talvez... a palavra que acompanha sempre aquele que sabe, mas que duvida sempre!

Peter disse...

Não posso comentar, "mfc" já o fez por mim.

mnemosyne disse...

Momentos que me transportam para além das horas... Um beijo

MARTA disse...

Dúvidas - todos temos e não há certezas de uma resposta encontrar...
Talvez seja por isso que eu viva tanto o despertar.......
Obrigada pela visita e deixo um xi muito grande.
Beijos e abraços
Marta

Rosa Brava disse...

Os sonhos... que acalentamos, mas que por vezes destruímos...

Belo!

Beijinho e boa semana ;)

meialua disse...

Sim, talvez...
:)
Beijinho

marconi leal disse...

Amita, li os últimos, que ainda não havia lido e, mais uma vez, saio daqui com a boa sensação de beleza. Beijos.

Ana Maria disse...

"Talvez existam...se breve os sinto."

gosto de ler filosofia em verso.
gosto de ler esta poesia.
o que fazer?
ler
sentir
sorrir
escrever