domingo, janeiro 04, 2009

Luar de Janeiro

































Gosto do suave perfume das flores,
das marés o salpicar,
da gota amena do orvalho,
da brisa fresca da manhã,
do sol despontando sereno
ao fundo da minha janela
que mantenho entreaberta
às aves singelas e seu trinar.

Gosto do intenso aroma a terra
enlaçado em maresia,
das pedras com musgo vestidas
na voz cândida do poeta,
da lua se esvaindo tímida
em cada novo despertar.

Gosto da árvore erecta sem rama
neste Inverno duro e frio,
do transeunte que traça
no silêncio o seu destino,
da sinfonia colorida
no infinito em pinceladas
qual pintor que beija e abraça
o belo do mundo e canta
com ternura e nostalgia
os sentimentos da vida
em Janeiro ao luar.


(Pintura de John William Inchbold)




6 comentários:

Paula Raposo disse...

Lindíssimo o teu poema! Gostava de ter estado em Vermoim, ontem. Muitos beijos.

Marta disse...

Gosto de estar aqui e visualizar todas estas cores, sons e cheiros...
Obrigada pela partilha....
Bom domingo...
Beijos e abraços
Marta

Nilson Barcelli disse...

Tens bons gostos e, com eles, cozinhaste um belo poema.
Gostei imenso.
Beijo.

António disse...

Olá, minha querida!
Muito obrigado pela saudação ao novo sexagenário.

(também não tens escrito muita coisa, aqui)

Beijinhos ternos

Ana disse...

Gosto de tudo o que dizes gostar... mas não o sei dizer como tu.
Bom ano para ti, Amita.

Fa menor disse...

Bonito poeta ao Luar de Janeiro.
A ilustração é perfeita!

Bom fim de semana

bjs