sábado, outubro 09, 2004

Caminhos

Percorro caminhos distantes onde a esperança reside.
Longe...Lá! Tão longe...

Deixo-me envolver pelos sons de Grieg e do seu Peer Gynt, e danço em pontas, envolta em tules, luzes brancas, cores multifacetadas... e voo qual floco de neve levado pelo vento frio do norte.

Isolada, no meu canto, na sonoridade que me trespassa corpo e alma, em gradações sonoras, metálicas, de trompetes e pratos que gritam "Acorda!"

A chuva cai. Densa, pesada, em transparências invisíveis.
Fico olhando o vazio numa busca desesperada e inconstante, de quê?
Do nada! Porque nada sempre é algo. O que quizermos que seja, será!

Por momentos vagueei, percorri caminhos de ti, trilhos da tua vida. Abracei ilusões, desilusões, expectativas, cansaços, ambições, desejos.
Assim sou. Mas já não chove, o vento amainou, só o frio se mantem na noite.
Amanhã será novo dia.
A Luz trará um novo sorriso.

3 comentários:

lique disse...

E que, para lá dos sonhos, a luz traga mesmo um novo sorriso! Beijinhos

AnaP disse...

E como dizia a Scarlet O'Hara: "tomorrow is another day"... Beijinhos*

ruiluis disse...

bonita reflexão profunda sobre a solidão e a saudade, aonde a força da vida se mantem, acesa como uma estrela a brilhar...um abraço !