quinta-feira, agosto 11, 2005

Hoje...

Hoje
Nasci no silêncio duma casa abandonada.
Me agitei, percorri espaços preocupada
Pelas vozes que gritavam.
São tantas as vozes que me falam
Em sinais tão diferentes…
Hoje
Entrei no carro e surgiu Mozart do nada
Na Antena dois.
O caminho delineado estava cortado.
Segui em frente
Para onde a luz me aguardava…
Mas hoje
De repente
Fui abalroada
Por uma montanha viva
De palavras…

6 comentários:

wind disse...

E vivam as palavras:) beijos

Å®t_Øf_£övë disse...

Amita, As palavras têm sempre muito peso,e por vezes deixam-nos assim...Bjs.

Raquel V. disse...

Gostei da imagem...
Um beijinho

ponto azul disse...

Não me importo de ouvir Mozart...adoro o seu Requiem!Bjs e bom fim de semana!:-)

AS disse...

Amita, as palavras procuram-te para que as transformes em lindos poemas...

Um beijo grande

( estão a acabar as férias) :((

Leonoretta disse...

ola amita
passei para te agradecer as tuas visitas sempre tao amaveis as quais eu levo tatnto tempo a agradecer.

ha dias assim, plenos de palavras para contrabalançar os outros tao vazios de ideias

beijinho da leonor