quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Passos d' Água










Cantam leves na distância
Os passos dum amor ausente
Nas profundezas da água
Entre limos godos algas
Que se quisera presente

Sobre ondas entre as vagas
Desenha traços d’estradas
Desafios de outra gente
Dores de sua constância
Se as sente as desmente

Querido és meu espelho
Que vagueia pelas águas
Todos os brilhos que traças
Em fogo abrem os fios
Do silêncio em que vagueio
Nos passos feito sorrisos

11 comentários:

AS disse...

No silêncio em que vagueias
Todos os brilhos que traças
Sáo os sonhos que anseias
As ilusões que semeias
Quando serena tu passas...


Para ti com um beijo grande

De Amor e de Terra disse...

Muito lindo o que disseste; muito lindo o que te disseram.
E tudo está dito.....

Um beijo de parabéns da

Maria Mamede

lobices disse...

...vim deixar um beijinho

António disse...

De facto tinhas razão!
A tua poesia é complicada de entender plenamente.
Que é bonita, que consegues dar uma melodia às palavras, sem dúvida.
Mas quanto ao entendimento de cada verso!
Ui, ui...eh eh eh

Obrigado pela visita.
Espero escrever a história toda neste fim de semana.
Já não é sem tempo...ah ah ah

Beijinhos

Marketeer disse...

Conhece a cidade alentejana de Vendas Novas? A Geração VN vem convidar todos os visitantes deste blog a passar por lá! É só clicar no link! Até já!

Dad disse...

Gostei muito do teu poema e do teu blog e obrigada pela visita ao meu Momentos de Luar!
Bjs

Manoel Carlos disse...

É contagiante o lirismo sebastiano dos teus versos.

Maria Costa disse...

Se me permite saliento este pequeno fragmento do seu poema,

"...és meu espelho
Que vagueia pelas águas
Todos os brilhos que traças
Em fogo abrem os fios
Do silêncio em que vagueio..."

Gostei de ler. Beijinhos.

Neith disse...

Palavras que deixam pegadas num volver de passos serenos e lentos...sublime este poema :)) Um beijo enorme

Manuel disse...

Um poema cheio de sugestões sensitivas, com uma sonoridade fresca e natural. Adorei.

benechaves disse...

Oi, Amita: saudade tb daqui deste outro lado do oceano.E aproveito para colocar minha leitura em dia, esperando vê-la sempre a apanhar sonhos que colho tb especialmente para ti. A casa é modesta, nordestina, meio sertaneja, mas vc tem entrada todo dia e toda hora.
E que continue a nos deliciar com seus bonitos poemas.

Beijos natalenses...