domingo, abril 01, 2007

A indelével certeza

























A indelével certeza dos anos encostados à parede
Se em mim cobriu enganos não teceu erros
E dos muros levantados amarelecidos no tempo
Resta a árvore que sustenta os longos fios
De um cabelo em marfim penteado
Que pelos afagos dos dedos
A raiz alimenta

Floresce a dança perene da memória
Em vagas macias, leves
Em laços de rede fina
Ondulando dos anos a hora
De mulher menina que canta
A indelével e alva certeza da brisa
Que anos tece nos cabelos

E te bebo minha hora perdida no tempo
Na leveza deste sentir em contemplação ausente
Quando me sento sob o silêncio das folhas
Em doce acalento


(pintura de Corinna Button)

7 comentários:

Pedro Rocha disse...

Olá,

Queriamos dar a conhecer o nosso projecto que promove a Agricultura Biológica na zona do Grande Porto e pretende implementar um conceito de produção local para consumo local.

Convidamos a visitar o nosso blog (www.raizesblog.blogspot.com).

Contamos ter a nossa página em breve pronta. (www.raizes.org)

Obrigado

unicus disse...

Temo, minha querida que só tenhamos uma certeza: a incerteza.
É sempre bom voltar a ler-te.
Beijos

In Loko disse...

Mais um canto lindo de ler, tu és assim Amita tens essa boa mania de me encantar pelas palavras! E as certezas só existem num curto, ou longo, espaço de tempo, aquele em que acreditamos nelas!... "Que raio de coisa, quando mais maduro e velho fico menos certezas tenho!". Beijinho grande menina...

Peter disse...

A história de uma vida em que as únicas certezas são as transformações físicas.

É um poema delicado e sensível, em que as palavras brotam docemente.

Estrela do mar disse...

...A Estrelinha pediu-me para vir até aqui desejar uma feliz Páscoa...e eu aqui estou:)...

__**_**
_**___**
_**___**_________****
_**___**_______**___****
_**__**_______*___**___**
__**__*______*__**__***__**
___**__*____*__**_____**__*
____**_**__**_**________**
____**___**__**
___*___________*
__*_____________*
_*____0_____0____*
_*___/___@___\___*
_*___\__/...\__/___*
___*_____W_____*
_____**_____**

Ela manda muitos beijinhossssssss

Menina_marota disse...

"...De mulher menina que canta
A indelével e alva certeza da brisa
Que anos tece nos cabelos..."

uma maravilha!

Adorei o enquadramento da imagem... lindo momento!

Bjs ;)

lena disse...

Amita, este poema é delicioso

sentei-me ao teu lado, sobre o silêncio e senti o momento

belo!

a imagem está perfeita, completam-se

abraço-te com muito carinho


beijos para ti muitos

lena