sábado, maio 28, 2005

Vazio

Papel branco pintado m’espreita
Brisa em tempestade de vento
E escuta com minúcia
Todo e qualquer movimento.
Na aurora em mim se deleita
À minha frente por mim

Lápis de plumas verdes se move
Fino e delicado
Entre os dedos impacientes
Aguardando quase implorando
Uma letra um simples traço.
Sem asas não posso não faço

Um cigarro mordendo o fumo calado
Um triângulo um quadrado
Me olhando em contemplação
Um café negro de frio
E deslizo no vazio
Da inspiração

6 comentários:

Gustavo Almeida disse...

Vazio que por certo se irá preencher em breve. Para isso mesmo serve a inspiração que tudo o que nos envolve (natureza, família e amigos) nos imprime na alma e que nos leva a saborear e a transmitir esse mesmo sabor, sentimento, surgido com a vivência.

AS disse...

Amita, a poesia é sempre uma espera impaciente...

Um beijo grande

Å®t_Øf_£övë disse...

Amiga,
Vim desejar-te uma boa semana,e claro ler os teus belos poemas.
Bjs.

serpa disse...

"Um café negro de frio
E deslizo no vazio
Da inspiração" inspiração vem do vazio, expressar o vazio é preenche-lo, canalizar uma ausencia gerando um concreto tangível.muito bom.

BlueShell disse...

Caí!
Estou toda dorida e esfarrapada!
BShell

Manoel Carlos disse...

Isto é que é fazer do limão uma limonada.
Inspirada forma de tratar da falta de inspiração.