sexta-feira, outubro 14, 2005

Mais...que mais.....









Não vens quando te espero
Tão pouco a sombra de ti
Me desce um desgosto infindo
Sobre os mares de carinho
Que previa e que não vi
(Mais p’ra ti que mais p’ra mim)

Sussurras ao meu ouvido
Como te adoro querida
Eu fico lerda, sem jeito
Me estremece no peito
O que devia e não fiz
(Mais p’ra mim que mais p’ra ti)

Quando meus olhos afagas
E me deslizas em letras
Nos sorrisos de ternura
Jorram palavras nuas
Qual cascata leve, amena
(Mais p’ra mim que mais p’ra ti)

Se de força eu te cubro
Na hora difícil do dia
Te enrolas nos meus braços
Seguras as pontas dos laços
Abrigo, porto seguro
No tempo do quem diria
(Mais p’ra ti que mais p’ra mim)

E neste empate técnico
Que o acaso teceu
A vida passa sem árbitro
E corre…corre…correu…

6 comentários:

mauro_mars disse...

Olá amiga...

Como andas tu? ao tempo que a gente não se fala...
já tenho saudades tuas..

Beijos grandes...

Mauro.

Paula Raposo disse...

Quando não há empates, é ainda mais difícil equacionar a questão!! Beijos e bom fim de semana

Poesia Portuguesa disse...

A Poesia da alma e dos sentidos!

"Nos sorrisos de ternura/
Jorram palavras nuas..."

Em ti, as palavras nunca são nuas, porque vêem vestidas de uma tal musicalidade, que permanecem em nós.

Um beijito de bom fim de semana, minha querida Amiga :)

José Gomes disse...

Cá estou eu, com uns desejos terríveis de mousse.
Olha, tens cá mais uma candidata a esta teu petisco especial...
Mas vim aqui para falar do teu poema (que não comento, pois a inspiração está na mousse!!!!) e desejar-te um fim de semana.
Quando é que nos juntamos?
Um abraço cá dos 3 da vida airada.

meialua disse...

Bonitas e jorrosas palavras...
Beijos*

Menina_marota disse...

"...E neste empate técnico
Que o acaso teceu
A vida passa sem árbitro
E corre…corre…correu… "

Como as tuas palavras têm a sensibilidade da Vida!

Adorei o teu poema!

Um abraço carinhoso ;)