terça-feira, março 14, 2006

Mãos de Sombra


















Um abraço esperado
O brilho de um sorriso
Um olhar terno encantado
Uma palavra não dita
A mostra em matemática
Das paralelas da vida
Um sentar espaçado
Entre frases seguidas
Rasga-se um ventre
Em mãos caídas
Um apressar demonstrado
Um sol e a sua procura
D'um ar mais leve mais claro
Nas vozes que não se abrem
Tapadas em noite escura

Foi só um sonho, bem sei
Nas escassas horas dormidas
Um remexer de sentidos

Banhei-me em águas puras
Cristalinas
Vestida de branco saí
Para o Sol que m’ilumina

5 comentários:

Ronymaru. disse...

Hennya que genial.

BlueShell disse...

Não consigo encontrar o "meu sol"...
Beijitos
BShell

Carmem L Vilanova disse...

Lindo poema, minha amiga! Lindissimo! Apaixono-me todas as vezes que te leio... E como nao?! :o)
Beijos... muitos!

Micaeerton disse...

A cadência bela das Palavras plasma-se na Imagem.
Com sua permissão vou "linkar" o "Branco e Preto".

BlueShell disse...

Queria poder transformar sonhos em realidade!
Hoje estou assim...
BShell