quinta-feira, abril 06, 2006

As águas sob as pontes...


















Correm águas sob as pontes
Águas claras… escuras…
Ou se isolam
Ou se mesclam
Águas puras… impuras…

Seguem idênticos trajectos
Ondeantes… lineares…
Em sussurros de silêncio
Bradam esferas de vento
Sob as pontes
Pontes suspensas nos ares

Águas e pontes que vibram
Abalos fortes, serenos
Águas seguindo cantares
Pontes correndo...correndo
Pelos montes serras vales
Na margem de brilhos intensos

Sob as pontes as águas correm
Deslizando docemente
Transformam pérolas d’orvalhos
E correndo se enlaçam

No éter as pontes abraçam
Solidões das marés
Dos tempos
Suave
Serenamente…

5 comentários:

Manoel Carlos disse...

Do lado de cá, águas nada plácidas...

Jorge Moreira disse...

Que águas maravilhosas do Tempo...
Lindo Poema muito bem ilustrado!
Beijinhos e bom fim de semana.

De Amor e de Terra disse...

Gosto muitíssimo de Pontes de todo o tipo porque as pontes são importantíssimos meios de ligação entre os Seres.

Conheço e Amo Pessoas que são as maiores e melhores de todas as Pontes.

Gostei.
Beijos

Maria mamede

Peter disse...

"Sob as pontes as águas correm/
Deslizando docemente/
Transformam pérolas d'orvalhos/
E correndo se enlaçam/

Gostei especialmente desta quadra.

Bom Domingo

Maria Costa disse...

As águas sob as pontes, em letras gotas na corrente.

Amita, beijinho.