sábado, abril 22, 2006

Diz...


















Diz-me
Sem que a voz te trema
O que cantam os poemas
Feitos de amor e saudade

Diz-me
Qual a verdade que espelhas
No voar de cada letra
Desfeita em liberdade

Longo é o caminho das pedras redondas
Depositadas no leito do rio
Que a corrente contempla e enfeita
De folhas, penas e limos
Elementos dos sentidos
Em cada dobra da margem
Que avisto

Diz-me
Do planar no silêncio sereno
Que sinto

Diz… apenas.

5 comentários:

Peter disse...

Amita, obrigado pela visita aos blogs. O "Peter's" é mais intimista, mais recatado, mas tudo são fantasias neste mundo não-real em que escrevemos.
Vê se vais arranjando tempo na tua vida super-ocupada para nos deliciares com a tua poesia.

Um bom fds*

Alexandre Sousa disse...

Venho solenemente anunciar que vai sair no próximo mês de Maio o meu primeiro livro.. CUMPLICIDADES é o seu titulo.

Menina_marota disse...

Parece que me estou a ouvir...

Lindo!

Um abraço carinhoso e bom fim de semana :)

Alma Minha... disse...

Gostei...
Bjs e bfs ;)

AS disse...

O planar silencioso e sereno não se diz... sente-se! Apenas...

Um beijo grande