domingo, maio 21, 2006

Asas Lentas












Te vejo me vês entre insónias e afins
Te quedas na noite desperta
Me deito na dor de mim

Me prometo te prometes esquecer
Me encubro na descoberta
Te cobres desse viver

Teus passos meus passos são leves
Nessa areia que pisamos do deserto
Em profundas marcas... breves

Me remetes te remeto ao silêncio
Das letras móveis... paradas
Que contemplo e contemplas
No deslizar suave das águas
Encobertas pelo Tempo
Que o Tudo de Nada
Enlaça

Lentos são os movimentos
Das asas….


(pintura de Cruzeiro Seixas)

2 comentários:

AS disse...

Querida Amita, a lentidão das asas dá tranquilidade ao voo e prolonga a sensação incomparável de derfrutar toda a paisagem...

Beijoss

Mestrinho disse...

Estou sem palavras Amita, em alternativa deixo-te um Beijo de agradecimento aos movimentos das asas.