sexta-feira, maio 05, 2006

Leve...


















Leves são as letras que dançam
Na margem de cada vaga
Como pássaros luzindo ao fogo
Sereno
Nas gotas das suas asas

Leve é o sal que purifica
O fruto
Nos passos de música das águas
Como leve é o encantamento
Do barco seguindo a palavra

No pó de areia levita
E com ternura
O azul
Espalha

6 comentários:

Friedrich disse...

Queres saber mesmo a verdade? Só estou mesmo aqui pq o meu blog mandou; para ver se tb comentas a minha história. Alguém disse: "que longa introdução". E eu acrescento, mas é mesmo só uma introdução, porque a história vai formando-se dentro da tua cabeça. - P/ descarado só me falta o chapéu... Senão tiver leitores as vendas baixam. - A poesia não precisa, governa-se sozinha!...

Beijos e abraços

Manoel Carlos disse...

Levemente o meu pensamento vagueia, d'além mar, nas nuances dos matizes entre o branco e o preto.

Menina_marota disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Menina_marota disse...

Leves são as palavras
que te conduzem
por momentos
ilusão
ternura
magia
que descobrimos
a cada instante
na tua Poesia...

Um abraço e até logo ;)

Helder Ribau disse...

gosto muito do teu blog

Poesia Portuguesa disse...

Lindo...

Deixo um beijo ;)