sábado, junho 11, 2005

Os quatro elementos

Escrevo sonhos de Fogo, labaredas
De palavras sem letras
Dualidade em flores de vento
Mui ledas
Madrugadas, brisas, momento

Escrevo a Água, ondina transmutada
Rio, catarata ou lago
Mantos espelhados, o afago
E entoo encantada
Sonoridades que trago

Escrevo em formas de azul o Ar
Voos suaves desenhados
Espirais a planar
Anseios, perdição d’ amores
Ilusão em tábua de cores
Navios de tons irisados

Escrevo a paixão da Terra, o sentir
O ideal desejado
No beija-flor simbolizado
Componho, enfim, a Natureza
Que num sorriso de tristeza
Teme, receia o provir

7 comentários:

Manuel disse...

Na harmonia dos elementos esculpiste o poema, que é a melodia infinita que povoa o vazio do ser.

BlueShell disse...

Só posso dizer...maravilhoso!

Tudo de bom, BShell

Å®t_Øf_£övë disse...

Amita,
passei para te desejar uma boa semana.
Bjs.

AS disse...

UM beijo e um sorriso... o poema é lindo!

José Gomes disse...

Amita, um dia destes vou-te roubar este poema...
Está lindo.
Boa semana para ti.
Um abraço.

Menina_marota disse...

"Murmúrios incandescentes
se sentem pressentem
Solfejos trinados cantares
No silêncio da floresta
E seus amenos voares
Desde a era primeva"

Fabuloso este poema!!
Adorei mesmo!

Abraço carinhoso :-)

M.P. disse...

LIndo e triste este teu Poema... Desculpa-me a ausêcnia mas tenho andado mesmo bastante ocupada! **