quarta-feira, janeiro 26, 2005

Em Ramos Nus

O canto que canto soando baixinho
Letra a letra em crescendo vindo
Decompondo a palavra
Palavra que me foi dada
Num renascer outonal

Canto tímido, dolente, espraiando-se no ar
Somente

Nota em nota unidas, alteradas
Puras sonoridades divagantes
Acalmias de tempo em águas passadas
Partituras inacabadas

Pequena ave azul em voo de rosa musical
Lentamente

Me estendo
E me vendo
Me entendo
Me alcanço
Em descanso
Me mirando
Achando
A letra, a palavra, a nota, o canto

Em ramos nus


3 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Linda Amita!
Escreves sempre de forma tao simples, e no entanto, sempre tao repleta de sentimentos que nao posso deixar de dizer o quanto teus textos/poesias me encantam!
Lindo final de dia para ti!
Beijos muitos!

AS disse...

Nesses ramos nus florescem os teus lindos poemas...

Um beijo grande

ponto azul disse...

Gosto muito do que escreves!:-)