sexta-feira, janeiro 07, 2005

O Trema

A conversa corria animada
Em temas vários fluindo
Palavras indo e vindo
Amizade iniciada

Voavam letras, sorrisos
Trocando conhecimentos
Leves, inocentes momentos
Movendo teclas e risos

Estrangeirismos deslizando
Certa altura, qual espanto
E para meu desencanto
O trema desaparecera voando

Louca, insana, investiguei
As teclas, os botões, as traves
Será que fora p’rós Algarves
P’rás férias que não lhe dei?

Encontrada a solução
Em breve foi esquecido
Por um “E” substituído.
Me dizem de lá, então:

“À janela batem, espera!”
“Com o frio Inverno de fora,
Corre, não descuides a demora
Abre a porta à Primavera.”

Quase desligando, saindo
Escrevem rápido, na hora
O teu trema chegou agora!
Um sonoro riso emitindo.


(À Ana, pela simpatia irradiada)

5 comentários:

Estrela do mar disse...

...e a ti...por teres partilhado este belo poema...

Desejo-te um bom fim de semana.
Um beijinho*grande.

JPD disse...

Olá Amita
Poema simples mas eficaz.
Boa semana!
Bjs

AS disse...

Abre a porta à Primavera e deixa que ela continue a beijar as palavras tão lindas com que fazes os poemas!...

Um beijo grande

Carmem L Vilanova disse...

Nao pude conter o riso. Está bem alegre e simpático este teu poeminha!
Beijinhos muitos...

AnaP disse...

:-) Beijocas, Amita linda e obrigada eu!