sábado, dezembro 25, 2004

A Viagem

Em sussurros tu dizes ao meu ouvido
Com ternura, doces palavras de enlevo
Querida, meu amor, fica comigo
Nada temas nem receies, eu te levo

Me afagas com doçura, me transportas
Loucas viagens pelo azul dos mares
Pelo deserto onde no Nilo as comportas
Se abrem lentamente para passares

Me abraças forte, seguro e confiante
Teus lábios meus olhos, cabelos afagam
Deslizando, afastando, num instante
Dúvidas, temores, que se apagam

Karnak as portas do Templo se abrindo
Jorros de Luz, de Paz, tranquilidade
De mãos dadas, murmuras, sorrindo
Vamos, amor meu, com serenidade

4 comentários:

AS disse...

Karnak, as portas do templo se abriram e por entre jorros de luz e tranqilidade, surgiu suavemente uma nuvem!...

Um beijo

BlueShell disse...

Tão lido este poema...
jinho , BShell

lique disse...

Um poema de sonho e tranquilidade. Belíssimo, amita. Beijinhos

Carmem L Vilanova disse...

Bem bonito!
Gostei imenso, Amita!
Beijos!