sábado, novembro 06, 2004

Apelo

Oh Morte, porque não vens
se morro em ti todos os dias?
Morro como os pássaroa voantes
Morro sob sóis estrelados
em mantos de azul
Morro na vida invivida
Morro!...

Luz que aclareia meus sonhos
esvaiu-se
Deambulo na escuridão
Só, em passos perdidos

O adormecer perpétuo!
A acalmia silenciosa do nada!
Vos desejo, tanto, tanto!

Sentimento de abandono
persegue-me
cada minuto, cada instante
perdida em gotas tranlúcidas
deslizantes de mim

E oro aos deuses
às divindades supremas
que a Paz me traga
ao meu corpo amorfo
dormindo no vácuo do nada.

11 comentários:

Peter disse...

Porquê tanta amargura?

Peter disse...

Porquê tanta amargura?

Peter disse...

Saiu em duplicado.Estou a aprender.O blog http://ardeoazul3.blogspot.com é da Maria Azenha e é muito belo.Belos poemas e belas fotos,como era de esperar.Clicando cá em baixo em help pode saber-se como se colocam fotos no blog.É preciso fazer o dowmload grátis de um programa.

maat disse...

Amita, o Abandono é uma experiência que todo o ser humano faz nesta Viagem pela Terra.
Mas de facto é apenas uma experiência.
Estou a seu lado.
A nossa metade está cá dentro.E só quando a perdemos de vista é que o tal abandono aparece com toda a violência.
A dor é também isso.

Um beijinho,amiga querida.
vejo uma sua lágrima brilhar.

Beijinho,

mariah

Anónimo disse...

LIndo poema amiga, mas de uma tristeza sem fim. meu beijo e obrigada por seu carinho, sempre.

Angela

frog disse...

Belissimo poema!... como num poema que fala de dor, se encontra doçura em cada palavra!
...todos os dias se morre um pouco dentro de nós. O segredo está em preencher esse espaço com o renascer de novos sonhos, novas vidas.

Fica com um beijo Amita.

Peter disse...

Amita,deixo aqui o endereço do meu novo blog: Peter's
http://oblogdopeter.blogspot.com
Pode ser que outras pessoas o leiam.

Manoel Carlos disse...

Em tempos de crise, por vezes quase sucumbimos à desesperança, sem ao menos vermos que há alternativas ao nosso alcance.
Mesmo na tristeza e da tristeza há quem faça belos poemas.
"... mas pra se fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza, é preciso um bocado de tristeza, senão não se faz um samba não..." - Samba da Benção de Baden Power e Vinícius de Moraes.

Robert disse...

Lindo poema, seu blog é muito interessante.
Feliz Ano Novo!
Vá visitar-me também.

http://sonhosdeverao.blogspot.com
e-mail: paulafrias2004@yahoo.com.br

Paula Isabel disse...

Por aqui. Não podia deixar de vir...após tão gentis palavras ao meu poema, no Peter's. Que o sonho volte sempre!

helenatroya disse...

"Sentimento de abandono
persegue-me
cada minuto, cada instante
perdida em gotas tranlúcidas
deslizantes de mim

E oro aos deuses
às divindades supremas
que a Paz me traga
ao meu corpo amorfo
dormindo no vácuo do nada"
............................DIZER O QUE???
"AMARGURADAMENTE" BELO!
_CONHECO POR "DENTRO" CADA PALAVRA!
_DEIXO MEU ABRACO AMIGO E SAUDOSO!
_Estou retomando as "visitas" a pouco e pouco!
_SAUDADES SUAS!
_Heloisa B.P.
*************************