domingo, novembro 21, 2004

La Declaración de Amor

Más aún que en tu clara primavera
eres ahora bella, amada mía:
en tu espléndido otoño, se diría
madura en ti la humanidad entera.

Amo tu cuerpo hermoso y tu alma austera,
tu sien surcada de sabiduría,
y te amo al saber tu compañia
para todo y en todo compañera.

Así te quiero, mar de aguas tranquilas,
con tu diáfano ayer, y en las pupilas
la luz de los crepúsculos dorados.

!Manos dichosas con que compartimos
nuestro pan amoroso y los racimos
a las viñas celestes arrancados!

Roberto Cabral del Hoyo
San Angel, Agosto 1993


(Postado por Morales Vilanova, no seu blog, em 20 do corrente)

6 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Amiga!
Este poeminha é realmente muito bonito, e nao há nenhum problema em que o tenhas "roubado", como dizes, é nosso... :o) Aliás como todo o meu blog, é para todos, todos aqueles que chegam e que começam a ocupar um espaço especial em minha vida, em meu coraçao... seja bem-vinda sempre, nova e já querida amiga!
Beijinhos do lado de cá das Américas!
Carmem Lúcia Vilanova

frog disse...

Um lindo poema de amor!... sabes, tenho notado que ultimamente este tema tem andado um pouco arredado dos poetas. Não achas? Sinais dos tempos?...

Um beijo

lique disse...

Belíssima declaração de amor na matur(a)idade. Foi bom teres "roubado" o poema. Beijinhos

Peter disse...

Tenho andado fora da Net.Voltei,dei uma volta por aí e tropecei e ainda bem,neste belíssimo poema.(Peter)

Å®t_Øf_£övë disse...

Olá,
Adoro a lingua espanhola.....e então quando o amor é falado em espanhol.....mais ainda!!!

AnaP disse...

E muito bem "postado"! Quando vejo a beleza em estado puro não a consigo comentar. Apenas consigo olhar para ela, embevecida. Beijos***